quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Caroline


Caroline
Arapongas, 19/09/2012 20:52

O seu rosto que eu não posso beijar
Sua pele que eu não posso sentir
São uma doce tortura que eu tenho que suportar
Só com a recompensa de te ver sorrir

Eu te pergunto o porquê eu não tive a sorte
De seu parceiro, seu guia o seu norte
Queria tanto sentir o seu abraço e seu carinho
Dói muito sempre andar por aí sozinho

Eu sou grato por pequenas coisas que me deste
Seu sorriso, sua atenção e compreensão
Fico feliz por poder compartilhar congito
Todo meu carinho, minha dedicação e admiração

Sou apenas mais um perdedor
Que por você vive morrendo de amor
Mas que tem a santa consciência
Que querer é a mais pura indecência

Os seus olhos eu só posso admirar
E sua pele raramente posso tocar
Mas seu caráter eu sempre posso desfrutar
Daquela moça que sempre que nunca tive a chance de namorar

Se um dia você disponível estiver
Quero poder torna-la minha mulher
Para que em meus braços eu escute o seu coração
Mas por enquanto suas ações me dizem não

O seu rosto é aquele que não posso beijar
Sua pela é aquela que não posso sentir
Se um dia você de mim lembrar
Saiba que um não posso mais resistir

Todo o dia a sua rua eu tenho que atravessar
Só para ver que sua gata é uma onça negra com um guizo
Seu abraço é um item que eu não consigo ganhar
Só porque eu preciso...

Seu adocicado e manso jeito de falar
Deixa-me mais romântico que as estrelas e o luar
Seu cabelo tem um tom escuro e sublime
Seu nome é Caroline

Helder Henrique do Nascimento Peres 21:17