segunda-feira, 23 de abril de 2012

Tristeza Romântica


Tristeza Romântica

Arapongas, 23/04/2012 20:12

Quando um coração demora a se apaixonar
Esse demorar faz com o que seu sentimento de amor fique mais profundo
E se um dia acontecer deste coração se apaixonar por alguém
Pode ter certeza que não haverá nada mais belo neste mundo

Mas nada será como era antes, só que será melhor do que não tivesse
Não tivesse sentido um sentimento para amar, e toda a hora pensar
Pensar em alguém, que não quer amar esse coração partido que tanto demorou
Demorou tanto para encontrar alguém que se parecesse com ele, que desse para se apaixonar

Só quem sente a profunda tristeza de não ter nada nesse mundo para se apegar
Só imaginar que Deus está no céu nos olhando, e aqui na Terra estamos apenas de passagem
Sem ter como fugir dessa realidade, estamos aqui para viver uma vida feliz assim como todo mundo
Mas por que este sentimento só causa um vazio, e nos faz viver uma sensação malandragem

Nunca se sinta tão triste para ver a beleza onde ela realmente está e aonde outros não vêm
Pois existe muita alegria na tristeza dos olhos de uma menina de cabelos negros como ébano
Existe um romantismo extremo em dias de névoa semi densa onde tudo vira cinza
Todas as coisas ficam pálidas e somente as rosas que nunca eram vistam brilham com cor intensa

A alegria e o prazer de compartilhar a emoção de um dia frio com alguém especial não têm tamanho
Ver aquela moça frágil coberta de casacos só a faz parecer mais frágil ainda, ao andar desajeitada
Aquele olhar feliz em seus olhos e seu sorriso triste sempre dizendo o que se passa no seu coração
E nunca pensando em deixa-la sem amparo, afinal ela sempre me diz que quer ser abraçada

Essa névoa, esse dia de chuva que não chove, apenas fica escuro e cinzento
Onde as moças lindas de verdade sorriem ao encontrarem uma rosa avermelhada
Onde todas as outras pessoas ficam tristes e somente as moças românticas ficam felizes
Onde posso olhar diretamente em seus olhos, beijar a sua boca e chamar-te de namorada

Enquanto a neblina cria uma cortina natural de privacidade para nós dois
De leve eu desfruto de sua boca adocicada e quente
Sua boca é a única coisa aquecida neste dia frio
No entanto, é o calor que quem cria é a gente

Essa sua boca vermelha, não de batom, mas do seu ser natural é tão macia
E como eu disse antes, quente e envolvente, suculenta, doce, delicada, suave
E eu degusto devagar essa sua fonte de desejos ardentes
De um jeito apaixonado consumo todo mel de seus lábios, sendo certo e fazendo algo grave

Mas eu ainda não acabei já que eu ainda não te dei a chance de contra atacar
Quero ver o que seus olhos tristes podem me oferecer
Eu não sei se fiz certo ou se eu ainda tenho que merecer
Toda a sua tristeza feliz, que só pensa em namorar

Apesar de apenar ter molhado a sua boca e te abraçado com carinho
Ter-te roubado o seu olhar e seu calor feminino somente para mim
Na verdade eu ainda não fiz nada
Mas posso fazer tudo isso e mais, se me abraçares contra seu ombro, desse jeito, assim...

Helder Henrique do Nascimento Peres 20:47