domingo, 22 de abril de 2012

Tomara que aconteça, Andressa


Tomara que aconteça, Andressa

Arapongas, 17/04/2012 22:11

Obrigado por me deixar conversar contigo
Mesmo que eu corra o mais humilhante perigo
De estourar a sua paciência que já é frágil
Quero demonstrar a minha gratidão por ti, de maneira ágil

Obrigado por me deixar eu me inspirar em ti
Pois sou mais um poeta fracassado
Onde tenho que mendigar caricias e atenção de quem não me quer
Quem manda eu ser uma relíquia do passado

Só te agradeço por me deixar olhar seus olhos
Ora triste, cansados, carentes e envolventes
Por me deixar admirar seu cabelo que não é negro, mas atraentes
E por me deixar falar contigo e trocando palavras, mesmo que palavras deprimentes

Mesmo que você não demonstre o mínimo interesse de ser minha amiga
Mesmo que eu apenas sirva para me inspirar em sua beleza e não deixar
Que meu sentimento poético se perca só por que eu não tão descolado
Eu ainda quero retribuir todas as poucas vezes que foste legal comigo, mesmo que sem intencionar

Ainda espero o dia em que você me chamará para ir a uma balada mesmo que hipoteticamente
Torço para que você me imite de novo, no meu jeito de falar de cachorrinho
Quem sabe um dia você venha conversar comigo por vontade própria
Que me deixe outra vez, em seu rosto, dar um beijinho

Mesmo que este poema pareça apaixonado
Na verdade não é
É apenas a tentativa de um rapaz magoado, não guardar magoa de você
Mesmo que correndo o risco de torcer o pé

Farei o que for preciso para não me magoar mais contigo
Tentarei de tudo para ser um bom amigo
Sentimentos resentidos não fazem bem para ninguém, não quero que isso aconteça
Só olhe para mim com bons olhos, Andressa

Helder Henrique do Nascimento Peres 22:34