terça-feira, 22 de novembro de 2011

Me desculpe.


Me desculpe.
Arapongas, 22/11/2011 22:47

Eu sei que de alguma forma eu te ofendi
Sei que o seu coração eu feri
Mas eu te peço com uma enorme dor
Me desculpe, por favor

Sei que eu de bobo me fiz de otário
E de inocência fiz aquele comentário
Mas não pense que eu queria difamá-la
Por que eu secretamente sempre quero amá-la

Tento tanto estar ao seu lado, que você nem percebe
Quero tentar a sorte de ser seu namorado, mas a rejeição me entristece
Faço-te caricias de maneiras rápidas, e você pensa que te bato
Sua ternura é o que me motiva, e sua emoção é o que me aquece

Queria tanto abraçar você... Dar-te carinho para valer
Só não sei como você irá reagir
Tenho medo de fazer mais uma burrada
Não quero te ver me deixar e partir

Tenho tanto amor para compartilhar, e quero tanto te entregar
Mesmo você não tendo os cabelos negros como ébano
Sei que pelo menos uma vez eu tenho que fazer uma poesia sem rima
E não me importar com as consequências, simplesmente amar

Talvez eu não faça o seu tipo, ou o contrário
Mas eu gosto do seu jeito sincero de me tratar
O som da sua voz já me fez sonhar
Mas tenho medo de cair outra vez no conto do vigário

Te peço desculpas por ter te ofendido
Mesmo essa não ter sido
Minha intenção, peço outra chance, se houver
E prometo te recompensar se você quiser

Queria tanto... Mas parece que agora já era
Mesmo que você talvez não possa ser minha paquera
Eu gostaria de te pedir um abraço de mansinho
Só por que você merece, mocinha que gosta de cachorrinho

Helder Henrique do Nascimento Peres 23:10