quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Ultima Batalha

Ultima Batalha

Sorocaba,  4 de janeiro de 2012 13:23

E tocam os sinos dos guerreiros que tombaram por glória
E a cada badalar, a emoção da batalha ecoa ressonando 
Mas agora os últimos combatentes estão a postos e prontos para lutar
E a cada fibra de energia que sobra é uma é uma viúva que vai chorando 

Não é hora, é agora, nossa ultima dança vai começar
E eu ataco no lado direito com minha espada de corte já gasto
E o oponente tentando se desviar tenta se esquivar para esquerda
Mas já tarde, pois o dano que eu lhe apliquei é profundo e vasto

Mas a luta prossegue e mesmo ferido meu oponente reage
Mas eu me defendo do seu ataque enfurecido, não é difícil
A dor que eu lhe causei faz com que o seu estilo de batalhe enfureça
Sua mente de ser humano ferido, junto com seu orgulho, torna seu próximo ataque previsível

E defendendo esse golpe, acerto mais uma vez sua costela
E ele urra como um urso que acaba de ser pego em uma armadilha
Não me importo com sua dor, afinal meu dever é terminar a batalha
E sem esperar um segundo, dou a vitória para a poderosa Bastilha

Meu ultimo golpe é fatal
Não me leve a mal
Assim acaba mais um revolta
E para voltar para casa, mesmo ferido, não preciso de escolta

Helder Henrique do Nascimento Peres 13:50