terça-feira, 26 de julho de 2011

Pretendente Que Mora Longe, Posto

Pretendente Que Mora Longe, Posto
Arapongas 26/07/2011 1:05 da madrugada

Ah, que droga de estar em um lugar chato preso por tudo
Não agüentava mais essa vida de ir a bancos
Tentar parecer o que eu não sou para os outros
Tapar sol com a peneira sujar-me com panos brancos

Precisava descansar parar em algum lugar
Queria tanto, mas tanto mesmo ser feliz, ouvir uma palavra de amor
Mas foi ai que você apareceu, uma menina tão sorridente
Que me fez me sentir bem, espantando toda a dor

Você só me deu, simplesmente uma palavra amiga
Falando nada com nada, apenas para puxar assunto comigo
Para me fazer sentir bem, ou só para quebrar o gelo
Só que o que você me fez, ah... Eu te digo!

Basta notar que eu existo para você me fazer feliz
Basta me comparar com alguém, que não tem nada a ver com minha pessoa
Para me fazer sentir especial, me fazer vivo sentindo isso
E me cativar com o seu jeito de moça sincera e pessoa boa

E depois disso, foram só conversas amigáveis, e sem malicia
Trocamos contatos, anotados em um guardanapo de papel
Por coincidência de novo, ou por um empurrãozinho de alguém
Voltamos a nos falar, só por que comprei um pastel
E no ultimo instante que te vi
Como um amigo, eu beijaria o seu rosto, em sinal de carinho
Senti sua pele ficar quente, muito quente, mesmo
Mas logo depois, entrei no carro, e voltei a estar sozinho

Helder Henrique do Nascimento Peres
01:22 da madrugada